AGENTE DE TRÂNSITO É ASSASSINADO A TIROS QUANDO CHEGAVA A SUA RESIDÊNCIA

Hernandes Omena foi atingido por quando chegava em casa com o filho. Ele não resistiu aos ferimentos e faleceu no HGE
por Anna Cláudia Almeida
A morte de Hernandes de Omena de Oliveira, 46 anos, inspetor da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) revoltou agentes de trânsito que ameaçam parar as atividades na manhã desta quinta-feira (22/09/2011), em Maceió-AL.
Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Geral do Estado (HGE) após sofrer um atentado a bala quando chegava a sua residência, na noite da última terça-feira (20), localizada no Complexo do Benedito Bentes. Um filho do inspetor de apenas três anos chegou a ficar ferido com um tiro de raspão.
Vários agentes de trânsito seguiram para o hospital quando receberam a notícia da morte do inspetor. Revoltados com a morte do colega de profissão, os agentes afirmam que irão paralisar as atividades pela falta de segurança que eles estão expostos. A categoria cobra justiça e prisão dos acusados do crime.
O crime ainda segue sem solução, nem com a prisão dos responsáveis. Os motivos para o atentado ainda são desconhecidos. De acordo com a polícia, Hernandes e o filho chegavam em casa quando foram abordados por dois homens numa motocicleta.
Os criminosos abriram fogo contra o inspetor que foi atingindo no abdômen e no braço. Já a criança teve apenas ferimentos leves com o tiro de raspão. A pedido da família, boletins médicos sobre o estado de saúde do Inspetor Omena não estavam sendo divulgado.
Apesar da assistência médica recebida, a vítima não resistiu aos ferimentos e faleceu na manhã de hoje. Assim como a família, os amigos de profissão não sabem a quem atribuir o crime, mas afirmam que os agentes de trânsito regularmente sofrem ameaças o que pode ser um dos motivos para o assassinato.
A investigação do crime está sob a responsabilidade da Delegacia de Homicídio.
O inspetor Omena trabalhava no setor de trânsito da SMTT. Servidor exemplar e de conduta ilibada, o inspetor foi um dos fundadores da Guarda Municipal. Era casado e pai de três filhos.
MATÉRIA FALA SOBRE PROVÁVEIS AUTORES DA MORTE DO AGENTE

1 comentários:

Charle de Marchi disse...

Não sei o que motivou o assasinato deste agente, mas nada justificaria tirar a vida de uma pessoa, sei que esta função de agente de trânsito não é fácil uma vez que se trabalha com punições e por consequência envolve dinheiro. Recuso-me a acreditar que o crime tenha ocorrido por uma discurssão ou multa aplicada em algum cidadão pois se for isso realmente o mundo está acabando.

Postar um comentário